Identidades espelhadas pelos idosos residentes em Cabo Verde

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ana Raquel Prada Rosa Novo Jéssica Soares Patrícia Brito Zuleica Veiga

Resumo

No imaginário social prevalecem construções sociais da velhice que influenciam a forma como a sociedade e o próprio idoso encaram o processo de envelhecimento, o valor conferido à pessoa e aos seus contextos relacionais próximos e distais (Bronfenbrenner & Morris, 2006). Com este estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa pretende-se analisar como o idoso residente em Cabo Verde perceciona e vivencia o seu processo de envelhecimento e os seus contextos relacionais. Os dados foram recolhidos numa amostra de conveniência, através de entrevistas semiestruturadas administradas individualmente que, depois de transcritas, foram submetidas à análise de conteúdo (Bardin, 2008; Kvale, 1996). Participaram neste estudo 8 idosos, de ambos géneros, com uma média de 76.63 anos, casados, reformados e sem relação de parentesco. Os dados corroboram uma perceção da velhice como um fenómeno natural e uma construção identitária positiva, pautada pela continuidade no tempo. Destaca-se ainda uma identidade espelhada do idoso no mundo com os outros.  Palavras-chave: Idoso; Identidade; Perceção de envelhecimento; Contextos de desenvolvimento.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PRADA, Ana Raquel et al. Identidades espelhadas pelos idosos residentes em Cabo Verde. Eduser - Revista de Educação, [S.l.], v. 8, n. 2, jan. 2017. ISSN 1645-4774. Disponível em: <https://www.eduser.ipb.pt/index.php/eduser/article/view/73>. Acesso em: 28 may 2017.
aprovação
Artigos